segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Filhoses de forma

Filhoses de forma

Hoje trago umas filhoses de forma que andava ao tempo para experimentar. Uma amiga tinha-me oferecido a forma (já há anos…!!!), mas nunca tinha experimentado arriscar a sorte, apesar de ela me dizer que era uma coisa simples. A forma pode ser comprado em vários locais: Pollux, Jumbo, Continente, antigas drogarias e até nas lojas chinesas já as vi!

Sendo assim, deixo-vos o meu “testemunho” desta aventura gastronómica! Fazer filhoses de forma não é um filme de terror. Não é um drama! Se são fáceis…? Também não vos vou enganar e dizer que se fazem “com uma perna às costas”! Mas fazem-se bem. Com dois ou três preceitos que apenas vocês conseguirão afinar, tal como eu os afinei à medida que iam saindo…

1.º - Preparar fritadeira com óleo, pratos com papel absorvente, prato com mistura de açúcar e canela, travessa grande…

2.º - Recrutar as mini-ajudantes lá de casa

3.º - Percebermos que a massa é pouca, que apesar disso 1/3 fica inutilizada, mas que no fim sai uma grande travessa de filhoses!

E agora explicando… 1/3 da massa fica inutilizada porque o óleo e a forma têm que manter uma temperatura média/baixa constante. Se a forma estiver muito quente, quando se coloca na massa, esta coze de imediato, e ao levantar do prato cai a massa semi-cozinhada e nem chega a entrar no óleo, ficando desta forma inutilizada. Por isso o grande segredo é conseguir manter uma temperatura certa! O resultado final compensa bastante a aventura, porque ficamos com umas filhoses finas e estaladiças e em que se sente muito menos gordura do que nas filhoses tradicionais.

Isto tudo também para dizer, que eu sou uma cozinheira de família, tal como a grande maioria de vocês que estão aí desse lado. Também faço experiências e arrisco novas receitas. Também tenho coisas que me saem menos bem. Não tenho qualquer formação académica na área. Cozinho por puro prazer, por isso não tenho pretensões de falar ou de ensinar sobre aquilo que não sei. Falo-vos do que faço, do que experimento, do que resulta bem ou menos bem… é que às vezes fico com a sensação que os leitores dos blogs de culinária partem do pressuposto que os seus autores (pelo menos da maioria dos blogues) serão pessoas especializadas na área… mas a maior parte de nós somos pessoas comuns, que saímos todos os dias para trabalhar, numa qualquer outra área que não a cozinha… Se calhar a única coisa que nos diferencia (autores e leitores) é que passamos todos os nossos bocadinhos a ler livros e revistas de culinária, a navegar entre aromas e sabores de todo o mundo através deste universo virtual. Na cozinha tudo passa a ser uma aventura divertida e irresistível de partilhar… por isso aproveitemos todos estas infindáveis aventuras! Desculpem o testamento… agora vamos à receita (retirada e adaptada da Teleculinária Robot de Cozinha deste mês), que no fundo é tão simples:

Filhoses de forma

150g de farinha
150g de leite
10g de água ardente ou Vinho do Porto
3 ovos

Açúcar e canela para polvilhar/envolver

Colocar todos os ingredientes numa taça e bater muito bem até estar uma massa macia e homogénea.

Pôr uma fritadeira em lume baixo com pelo menos 3 dedos de óleo de altura. Colocar a forma lá dentro para ir aquecendo.

Deitar a massa num prato (usei um prato de sopa) e colocar a forma quente e molhada no óleo, até cerca de dois terços da altura da forma, SEM NUNCA ULTRAPASSAR O METAL, i.e., a forma nunca deve mergulhar por completo na massa. Voltar a pôr a forma no óleo e sacudir ligeiramente para soltar a massa. Não convém fazer mais de duas de cada vez, o que não é dramático, uma vez que ficam prontas em menos de nada. Retirar do óleo para um prato com papel absorvente e depois, ainda quentes, polvilhar de açúcar e canela (agradeço estes pequenos passos ás minhas grandes ajudantes, que apesar de irem petiscando, fizeram um excelente trabalho!!!!). Repetir a operação até terminar a massa.

Bom apetite!

14 comentários:

  1. Adoro e estas ficaram muito bonitas!
    Bjs, Susana
    Nota: Ver os passatempos a decorrer no meu blog:
    http://tertuliadasusy.blogspot.pt/2013/11/1-aniversario.html
    http://tertuliadasusy.blogspot.pt/2013/12/strudle-de-bacalhau-e-couve-com-chourico.html

    ResponderEliminar
  2. Que lindas ficaram as tuas filhoses!
    Eu também recebi uma forma dessa nossa amiga, usei uma vez e correu mal!

    ResponderEliminar
  3. Mas olha que ficaram muito bonitas, ninguém diria que são filhoses de primeira viagem :)

    ResponderEliminar
  4. Que lindas ficaram!
    A primeira vez que experimentámos cá em casa também foi uma aventura, estragou-se mais massa do que a que se aproveitou, mas o segredo é mesmo da temperatura do óleo e de como de coloca a forma lá dentro.
    Quando à história dos blogues e de quem nos visita, subscrevo totalmente :) as pessoas querem receitas infalíveis, e isso não existe. Quem não tiver gosto pelo que faz, seja na cozinha como em outras coisas, não obtém bons resultados. Para as coisas sairem bem é preciso ter prazer ao fazê-las :)

    ResponderEliminar
  5. Olá.
    que lindas ficam essas filhoses. tenho que comprar uma forma dessas para as fazer. quanto à massa que se estraga, só tentando e melhorando se chega à perfeição :)
    beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Lindíssimas e aposto que ficaram uma delicia. tenho que comprar uma forma dessas porque ando para fazer esta receita à imenso tempo. quanto à massa que se estragou, só com tentativas se chega à perfeição e estas estão perfeitas :)
    beijinhos e boas festas

    ResponderEliminar
  7. Estão lindas, e são das minhas preferidas.
    Partilho da mesma opinião, ora agora disseste tudo! ;)
    Beijoca e uma boa semana.

    ResponderEliminar
  8. Nunca fiz filhoses, nem sonhos, nem nada desses doces tradicionais do Natal, pois é sempre a minha mãe que as faz, mas este ano vou aventurar-me numa das áreas.
    Ficaram lindas estas tuas filhoses!
    Beijinhos,
    Lia.

    ResponderEliminar
  9. Gosto tanto destes doces de natal e também tenho uma flor á anos e ainda não a estreie! ficaram bem bonitas as tuas filhoses! bjks

    ResponderEliminar
  10. tenho uma forma dessas e a primeira vez que fis estas filhoses, correu tão mal, mas tão mal, e fiquei com o cheiro a óleo impregnado na cozinha, que não mais voltei a fazer.
    Mas o aspecto é delicioso e ficam sempre bonitas. ;)
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  11. Para além de bonitas, estão com um aspecto super apetitoso. Também tenho uma forma arrumada que nunca experimentei. Depois destas dicas preciosas, talvez arrisque uma tentativa. Obrigada pela partilha. :)

    ResponderEliminar
  12. Concordo com tudo o que disse! Quanto as filhoses quase todos os anos faço pela altura do Natal e o segredo é mesmo a temperatura do óleo.

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...