sexta-feira, 5 de setembro de 2014

De regresso... o balanço


De regresso! Pois é, quase três semanas de ausência... Confesso que estive para recomeçar a rotina de publicações na passada segunda feira, com os normais desejos de um bom ano, cheio de planos e projectos, horários e rotinas novas. As baterias vinham minimamente recarregadas, as férias correram bem, tranquilas e sem sobressaltos.

Mas este regresso para um novo ano não correu bem... nada bem mesmo. Na segunda, bem cedo, recebi uma mensagem de uma querida amiga que estava desfeita. E o meu coração ficou colado ao dela, em sobressalto. Na terça mais uma confirmação de outra notícia menos boa. E na quarta-feira a noite acabou arrasadora com o adeus da nossa princesa "coderosa"... ou seja, não quis recomeçar. Não me apetecia começar e ser indiferente. Não queria começar e falar destes assuntos.

Mas tinha que recomeçar. E por isso cá estou, de volta. Agora sim, falando de tudo e de nada. Dos pesadelos destes dias e dos projectos para o ano que aí vem...

Este ano que agora se arruma foi um ano complicado. De sacrifícios (muitos!), de algumas mudanças, de decisões difíceis, de dizer adeus... e também de dizer olás pequeninos e meiguinhos! Foi o ano da chegada dos 40. E é engraçado que os 40 trazem de facto com eles algumas mudanças. Não são repentinas, como é evidente. Mas vão chegando ao longo dos anos e nesta altura tomam por completo conta da nossa vida. O que os outros pensam, passa a ser isso mesmo. Aprendemos a dizer não, sem os medos do passado. Os complexos deixam de fazer sentido, uma vez que as ideias e opiniões dos outros, são dos outros. E ter 40 significa que (se nada de mal acontecer no percurso da vida) metade da vida já foi vivida. Por isso é hora de balanço. De ver se estamos onde queremos estar. De alinhar prioridades.

Este ano que passou foi também o ano em que este cantinho podia ter dado o seu passo de gigante... mas preferiu ficar no seu cantinho. É das tais coisas de ter 40...

Este ano que aí vem não me entusiasma especialmente. Tenho planos, é certo, mas sem grandes expectativas. Os sonhos encontram-se em lista de espera. Sou feliz com o que tenho e com quem tenho. Não me atrevo a pedir mais. Não quero pedir mais.

A todos vocês, vou dizer aquilo que repito constantemente aqui por casa. Olhem à vossa volta e vejam. Dêem graças pelo que vos rodeia. Dêem graças por acordar todos os dias, com saúde e pão para a boca. Vivam e aproveitem ao máximo quem amam. Agradeçam tudo o que têm e não anseiem pelo que acham que gostavam de ter! O resto... o resto são coisas!

Um bom ano para todos nós...

4 comentários:

  1. Um beijinho querida M.J. E concordo contigo a 500%...eu ainda vou fazer 39 (carradas de diferença de 40...lol.) mas já sinto essa fase de libertar o que não me faz falta, viver com o que tenho e não me sentir nada mal por ficar no meu cantinho!
    Bom recomeço querida!

    ResponderEliminar
  2. É este mesmo o meu lema de vida! Há quem não consiga ver a felicidade e as coisas boas que tem na vida e que por vezes são bastantes. Já estou nos quarentas e não me tenho dado nada mal com esta fase mais madura da minha vida :)
    Um beijinho e um bom recomeço.
    Vanda

    ResponderEliminar
  3. Olá e bom regresso.
    Acompanho o seu blog mas nunca comentei. Achei que o devia fazer hoje.
    Ainda me faltam alguns, não muitos, para os 40 e eu já penso assim. Acho que a vida nos vai ensinando a olhar a vida de outra maneiro ou a ver as coisas noutra perspectiva. Tambem sou feliz com o que tenho e com quem tenho comigo, e os outros que não nos são nada são mesmo isso...
    Obrigada por este post que é muito bonito pela simplicidade e pela mão que nos toca sem se ver.
    Beijo e bom fim de semana (seja feliz, muito!!)
    Lucia martins

    ResponderEliminar
  4. Adorei o texto, e também concordo... os meus 40 também chegaram há coisa de um mês! :)
    bjs

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...