sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Um obrigada e um pudim da aldeia

Antes de mais quero-vos agradecer muito honestamente por todo o apoio que me deram através dos vossos comentários. Não era meu objectivo de maneira nenhuma, abrir uma onda de solidariedade, mas os vossos comentários foram muito bem vindos e souberam muito bem!!! Mais uma vez muito obrigada pela vossa presença.

Pudim da aldeia

Agora vamos à paparoca!!! Hoje trago aqui um pudim que retirei do blog Mesa para 4. Muito honestamente é um dos meus blogs preferidos, sem querer de maneira nenhuma desrespeitar ninguém. Mas como vocês percebem, há cozinhas mais iguais à nossa e dispensas mais iguais ás nossas que outras. O blog Mesa para 4 é todo ele à minha medida. Tem receitas deliciosas, práticas e que encaixam que nem uma luva no meu tipo de dispensa. Se calhar nos próximos tempos passarão por aqui algumas receitas copiadas ou adaptadas de lá. O meu muito obrigada pela inspiração. O pudim parecia-me delicioso e a história dele ainda me cativou mais... é que eu sou muito sentimentalona. Então aqui fica:

2 pacotes de Pudim Mandarim
1 litro de leite
12 colheres de sopa de açúcar
4 ovos

Bater a claras em castelo e reservar. Numa panela deitar as gemas, o pó do pudim e o açúcar. Misturar muito bem com uma vara de arames. Ir deitando lentamente o leite até tudo estar bem misturado. Levar ao lume mexendo sempre até ferver. Assim que começar a ferver reduzir o lume para o mínimo e deixar cozer 3 minutos. Findo este tempo, juntar imediatamente as claras, mexendo de baixo para cima lentamente em cima do fogão, com ele desligado, para que elas cozinharem. Depois de as claras estarem bem incorporadas, deitar na forma escolhida.
Eu também usei um tabuleiro de vidro, mas pela sua textura o pudim é muito simples de desenformar.

Bom apetite!

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Comentários a ferro e fogo

Hoje o meu post não está relacionado com culinária, nem nada que se pareça. Talvez por me terem apanhado num período da minha vida em que não ando particularmente tolerante, ontem perdi totalmente a paciência com um comentário que recebi.

Iniciei o meu blog por vontade própria. Ninguém me pediu, nem ninguém me obrigou. Para quem tem blogs, sabe perfeitamente o tempo e a disponibilidade que eles consomem, para serem alimentados com regularidade. Este blog começou humilde, mas a pouco e pouco foi conquistando o seu espaço neste mundo da internet. Agora, e depois de mais de um milhão de visitas (que o contador já deu a volta!), sinto-me, por uma questão de respeito a quem me visita, na obrigação de iniciar um procedimento que até agora tinha achado desnecessário. A moderação de comentários.

Agradeço a todos os que por aqui passam e deixam os seus comentários, críticas e sugestões. Fazem muito mais do que eu, que raramente consigo deixar um único comentário que seja! Mas, para todos os efeitos, este espaço é meu. E nele, tal como na minha vida pessoal, tenho muita dificuldade em lidar com má educação e falta de respeito. Eu não estou acima de críticas, nem de comentários de pessoas que não gostaram de algumas das minhas sugestões. Aceito tudo isso, desde que sejam feitos de uma forma educada e respeitosa. A partir de hoje, no meu blog, não serão aceites comentários anónimos de gente mal-educada. Aceito qualquer comentário anónimo, uma vez que nem todas as pessoas estão registadas, mas, como qualquer outro ficará a aguardar aprovação. Agradeço a vossa compreensão e peço desculpa pelo desabafo!!!

domingo, 20 de setembro de 2009

Pimentos e batatas recheadas com atum

Batatas e pimentos recheados - desafio de Junho do Cozinheiras Desesperadas

Este foi mais um desafio do grupo "Cozinheiras Desesperadas" do Flickr. Já foi o desafio de Junho, por isso podem calcular como estou atrasada na colocação das minhas receitas. A receita original era de beringelas recheadas, mas como cá em casa não apreciamos especialmente, fiz pimentos e batatas recheadas. Pessoalmente preferi a versão batata. É trabalhoso para fazer durante a semana, por isso aconselho o fim de semana. Aqui fica:

1 pimento vermelho
5 batatas médias
sal
0,5 dl de azeite
1 cebola
3 latas de atum
3 dl de molho de tomate
1 colher de sobremesa de manteiga
1 colher de sobremesa de farinha
1,5 dl de leite
pimenta
noz moscada
120 g de queijo ralado
1 colher de chá de colorau

Lavar as batatas muito bem, sem as descasvar. Levar a cozer cerca de 4 a 5 minutos depois da água estar a ferver (não devem ficar completamente cozidas). Cortar as batatas e o pimento no sentido longitudinal. Retirar o miolo das batatas, mas de forma a ficar uma "tigela" resistente o suficiente para receber o recheio (cerca de 1cm). Limpar o pimento de todas as partes brancas.

Aquecer o azeite numa frigideira e a cebola picada. Acrescentar o miolo das batatas e deixar cozinhar um pouco. Juntar o atum escorrido e o molho de tomate. Deixar refogar um pouco e esmagar com um garfo.

Num tacho à parte, derreter a manteiga, polvilhar com a farinha e mexer bem. Regar com o leite e deixar engrossar. Temperar com sal, pimenta e noz moscada. Rechear as batatas e o pimento com o preparado e polvilhar com parte do queijo misturado com o colorau. Colocar num tabuleiro as batatas e o pimento e regar com o molho. Polvilhar com o restante queijo.Vai ao forno até ficarem dourados.

Bom apetite!

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Bolo de chocolate

Bolo de chocolate

Aqui fica um bolinho de chocolate. Há dezenas (para não dizer mais) de receitas diferentes de bolo de chocolate. Esta foi retirada do blog Água na Boca. Fez sucesso cá por casa e é de facto muito simples de fazer. Para mim a única desvantagem é o tempo de cozedura. Demora quase 1 hora de forno. Mas compensa a espera! Aqui fica:

4 Ovos
2 Chávenas de chá de açucar
2 Chávenas de chá de farinha
1 Chávena de chá óleo (cortei no óleo)
1 Chávena de chá leite
1 Chávena de chá chocolate em pó
1 Colher de sobremesa de fermento em pó

Colocar todos os ingredientes numa taça e bater muito bem durante 4 a 5 minutos com a batedeira. Levar ao forno numa forma untada e polvilhada. Forno médio cerca de 1 hora

Cobertura:

4 colheres de sopa de açucar
4 colheres de sopa de leite
4 colheres de sopa de chocolate em pó
2 colheres de sopa (rasas) de margarina

Levar ao lume até ficar em creme e cubrir de seguida o bolo.

Bom apetite!

Bolo de chocolate

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Alconcoras e Pão de Rala

Hoje não coloco nenhuma receita minha. Apenas venho fazer publicidade a estes dois doces típicos do Alentejo. Foram-me enviados pela minha amiga Rita, orgulhosa alentejana! São
D E L I C I O S O S!!!!!!!! Quem ainda não comeu, não se esqueça de provar quando passar no Alentejo... Aqui ficam as fotos:

Alconcoras
Alcôncoras

Pão de rala
Pão de rala... chegou vivo depois de uma grande odisseia!!!

Pão de rala... chegou vivo depois de uma grande odisseia!!!

Pão de rala... chegou vivo depois de uma grande odisseia!!!

Estes são caseirinhos...

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Rolo de carne da Rosa

Rolo de carne da Rosa

A receita de hoje é muito simples de fazer. E fica muito boa, mas não tem sido repetida cá em casa, por um único motivo: o meu marido não aprecia o sabor das sopas de pacote. Mas é um prato muito prático para fazer mesmo durante a semana. A receita foi-me dada por uma amiga "flickriana": A cor da Rosa. Aqui fica:

500 g de carne Picada
1 pacote de natas
1 pacote de sopa de cebola
Pão ralado q.b.
3 fatias de queijo flamengo partidas em pedaços

Colocar todos os ingredientes, com excepção do pão ralado, numa tigela e misturar de forma homogéna. Com a ajuda de papel vegetal ou película aderente, enrolar a carne até ficar com a típica aparência do rolo de carne. Polvilhar com o pão ralado e levar a assar a forno previamente aquecido. Acompanhei com esparguete e salada. O rolo não fica nada seco, uma vez que leva as natas.

Bom apetite!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...